As nossas vidas importam!

No dia 8 de Março é momento de lutarmos juntas por nossas vidas, por renda e por vacina!

26 Fev 2021, 14:50 Tempo de leitura: 3 minutos, 29 segundos
As nossas vidas importam!

Dia 8 foi o Dia Internacional de luta das Mulheres, um importante dia que simboliza a luta que travamos o tempo todo para a garantia de nossos direitos e de nossas vidas.
Pensar nesse dia está diretamente ligado com a situação que muitas mulheres estão vivenciando na pandemia. Os índices de violência contra a mulher aumentaram substancialmente no período de isolamento, já que, nossos agressores, na maioria das vezes, estão dentro de casa. Nesse período, a sobrecarga das mulheres dentro de suas próprias casas escancarou a jornada dupla, muitas vezes tripla, de trabalho que enfrentamos diariamente.


Devemos ressaltar a importância das mulheres na linha de frente no combate ao covid nessa pandemia: as trabalhadoras da saúde que trabalharam incansavelmente, com salários e condições de trabalho tão precarizados, para conseguir manter a população viva. Devemos lembrar também das mulheres que são maioria dentro das escolas. Professoras, merendeiras e serventes estão trabalhando no maior pico da pandemia, expondo suas vidas e as de seus familiares. Enquanto isso, a própria Câmara fechará, pois reconhece o perigo que se apresenta diante de nós. Sabemos também que fechar as escolas não é uma tarefa simples, mas necessária. E pra isso a prefeitura precisa garantir condições para um isolamento seguro, como aprovar nossa indicação de uma renda emergencial do município, para que as pessoas possam se manter em suas casas.

A nossa luta também é nos espaços políticos, ocupamos apenas 3 de 19 cadeiras na Câmara. Somos maioria em população e, pela lógica mais básica, deveríamos ocupar, no mínimo, metade dessas cadeiras. Nossa presença, junto às demais vereadoras, quebra a história que vinha sendo construída até então na política de São Caetano. Rompe certa estrutura de conforto que existia e, por isso, sabemos o tamanho de nossa tarefa em encorajar mais mulheres a participarem da política e de demonstrar o óbvio — é necessário que tenhamos voz de tamanho proporcional à nossa população sobre todas as decisões da política. E também é imprescindível que possamos ser protagonistas nas decisões que dizem respeito às vidas das mulheres.

Junto a tudo isso, fazemos um apelo simples a todos: respeitem o nosso espaço de fala. Respeitem nosso mandato que é coletivo, formado por três mulheres, e não apenas por mim. Eu, a Paula e a Fernanda nos chamamos de covereadoras, e gostaríamos do respeito com todas as mulheres do nosso mandato, assim como tratamos a todos com respeito. Respeitem a trajetória que enfrentamos, estruturalmente desigual, para ocupar esse lugar na política. Quando uma mulher subir a tribuna para falar, não interrompam. O silenciamento das mulheres é algo que conhecemos muito bem, e por isso mesmo é algo a que jamais nos submeteremos. Em diferentes proporções, temos exemplos de outras companheiras parlamentares do PSOL que passam por isso e acreditamos que o mais grave deles é o de Marielle Franco. A sua imagem, registrada em vídeo, exigindo aos demais parlamentares que não a interrompessem, faz parte do nosso repertório de luta. Infelizmente, tentaram silenciá-la com a morte. Não conseguiram. Sua presença incômoda aos injustos segue incomodando, e nosso grito segue ecoando: quem mandou o vizinho do Bolsonaro matar Marielle?

Compreendemos a necessidade de este ser mais um mês para a construção de uma sociedade em que as mulheres sejam livres . Mas, para isso, é preciso que tenhamos uma São Caetano para as mulheres, uma cidade que construa mecanismos de proteção a nossas vidas. Uma cidade em que a gente se sinta segura em ocupar os espaços públicos. Uma cidade que ao ver um crescimento de 116% em denúncias, graças a importante delegacia da mulher, compreenda que ainda temos muito o que avançar em mecanismos de proteção. Por isso, nosso mandato protocolou 16 proposições voltadas às mulheres.

Convidamos todas as mulheres que queiram se organizar conosco, porque juntas a nossa luta fica mais forte. A luta das mulheres muda o mundo!